2

Aprendendo com as experiências alheias: kudo cards

Oi! Tudo bem?

Vou começar me apresentando rapidamente: sou a Cinthya e, atualmente, sou tech lead em duas Squads de produtos em uma grande empresa de Telecom. E lá, começamos um movimento forte em direção a adoção do ágil nas áreas de TI e Digital.

A adoção de algo “novo” nunca é simples e indolor, né? Então, passamos por períodos de adaptação com pessoas novas no time, monatagem de uma nova composição de times, com funções novas, com áreas pares ainda fora da metodologia, com alguns percalços ainda não resolvidos com as equipes de testes e de backend… Enfim, como vocês devem perceber, mudar nem sempre é fácil.

Resolvemos adotar diretamente Kanban, o que, por si só, já é um desafio a mais. Estamos rodando essa esteira há umas 10/11 sprints. Cada sprint nossa tem 2 semanas, então, seria algo como 5 meses. Mas, durante esse tempo, sentimos falta de ver como as outras empresas também estão fazendo e trabalhando ágil fora do nosso mercado.

Fizemos uma primeira visita na Globo.com. E foi MUITO interessante! Juntamos algumas pessoas do time e fomos basicamente “sabatinar” o Carlos Tritacci, executivo de Transformação Digital de lá. Eles estão muito mais avançados que nós, começaram essa transformação há mais de 2 anos, mas foi muito surpreendente ver que eles também ainda estão aprendendo. Sabe aquela sensação de que você não é único a passar por diversos problemas? Então, acho que foi isso. O grande mérito da adocação do ágil na Globo.com foi, ao meu ver, em primeiro lugar engajar as pessoas e seus novos papéis e em segundo lugar contar com um apoio de um diretor influente. Com essa soma de pessoas + influência (e, com certeza, persistência), ficou menos complicado mostrar a toda uma organização gigantesca as vantagens (inclusive financeiras) de como rodar ágil aumenta a performance do time e melhora o valor das entregas.

Uma prática de Managent 3.0 que eu vi por lá e que eu não conhecia era a utilização dos kudos cards para reconhecermos o que de bom os membros do time fizeram. Assim que voltamos da visita, levei a ideia para PO e para a Scrum Master do time que eu fazia parte. Elas compraram a ideia e, hoje, mais ou menos 3 sprints após começarmos a adotar os kudos nas nossas retrospectivas, eles viraram uma atração a parte. Todo mundo espera por esse momento! A gente inclusive, já enviou kudo card para pessoas de fora do time, pessoas que ficam fisicamente longe mas que contruibuem muito para o bom andamento das Squads que montamos.

kudo cards (cartões com agradecimentos/reconhecimentos) colados na parede da squad
Kudo Cards na parede da Squad (dei um blur de propósito, ok?)

Resumindo: nenhuma adoção de ágil, ainda mais em empresas grandes e “já formadas”, é simples e fácil, mas se a gente tentar, testar e ir melhorando o processo para entregar mais valor o quanto antes, teremos subsídio o suficiente para mostrar a alta gestão da empresa que vale a pena sim, de novo, inlcusive financeiramente, e que essa deveria ser a nova forma de todos dentro da empresa trabalharem, focados no que traz mais valor pro produto, pra empresa e pros seus clientes. Um outro ponto importante que eu percebi com as experiências na Globo.com e em outros meet-ups e eventos que eu já participei é que nenhuma implementação será igual a outra, porque o que mais conta nessa mudança de forma de trabalhar são: pessoas e a cultura da empresa e esses dois pontos são fundamentais e completamente diferentes em cada adoção. 

Abraços e até a próxima!

Please follow and like us:
error

Cinthya Ruys

2 Comments

  1. Excelente texto!!! Vocês documentam de algum forma quem ganhou o Kudo Cards? Vocês fazem um Inspect & Adapt e em algum outro momento é levantado os Kudo Cards do passado? Você acha que isso gera alguma sensação de competição dentro do time? Já aconteceu de alguem não ganhar e ficar chateado?

    • Opa, obrigada! A gente deixa os kudo cards nas paredes da squad até a próxima retrospectiva, ou seja, ficam lá por duas semanas. Depois, a gente distruibui os cartões físicos para quem foi o agraciado pelo mesmo. Nosso time é muito maduro e eu acho que isso ajudou muito a não ter essa competitivadade dentro do time. Pelo menos comigo, quando eu vejo alguém ganhando um agradecimento, eu fico muito feliz pela pessoa.

Deixe uma resposta