1

Como engajar os times?

O termo “engajamento” está sendo bastante utilizado nos últimos anos, mas a grande questão é, como criamos esse tal “engajamento” dos times?

Entendo que a questão do engajamento está diretamente ligado a um propósito, pois se não existe um real motivo para fazer determinada atividade, o engajamento será fake, pois dificilmente conseguirá algo duradouro se não houver o entendimento e o comprometimento individual para atingir um objetivo.

Quando falamos do propósito, ai precisamos ir para um termo mais prático, que o gerar o entendimento da necessidade e o individuo se sensibilizar com a necessidade e então ele terá um proposito de uma entrega ou até mesmo de uma transformação.

No ponto do propósito temos inúmeros exemplos, a pessoa que parou de fumar porque recebeu um diagnostico ruim e então abandou o vicio para se recuperar, pessoas que pararam de beber e etc. Estamos falando das mais diversas transformações e inclusive de mudanças de habito, ou seja, quando temos de fato um propósito tudo se torna possível.

Para trazer isso para o âmbito profissional, temos que gerar o mesmo nível de conhecimento para que desperte a necessidade de mudança e a melhor forma de fazer isso é realizando a imersão do time no produto que eles vão desenvolver, ou seja, colocar o time para vivenciar a utilização do produto, ver as dores, entender como é a dinâmica do dia a dia, identificar dores que o usuário já nem percebe mais que é uma dor de tão acostumado que já está em fazer determinada atividade e todos esse insumo vai tende a despertar o motivo de fazer um produto melhor, do time se sentir em realizado em saber como o produto vai ser utilizado e o ganho que dará para a empresa e para quem utiliza, então saber que podemos melhorar a vida dos outros e conseguir atingir esse objetivo é satisfatório pelo simples motivo da empatia. (Times produtivos tem empatia, é um excelente softskill que temos que levar em consideração quando form montar o time)

Então com a imersão já conseguimos trazer um primeiro fator que é o proposito, agora vamos para um segundo fator que é a realização, tendo vivido e entendido o dia a dia (todo o time), com certeza a solução será diferenciada, pois o aprendizado foi realizado com quem direciona (gestão) e também com quem utiliza, com isso os testes de hipóteses e entregas devem ser filmados (desde que tenha o consentimento do usuário) para mostrar e registrar a felicidade de quem está recebendo um produto tão diferenciado, que está sendo feito de acordo com as necessidade e dinamismo que necessita, gerando assim a realização da entrega.

E para fechar o terceiro pilar, entendo que a gestão do time deve sempre reconhecer o time como uma única unidade, evitar qualquer tipo de competição, muito pelo contrário deve sempre reconhecer o momento de compartilhamento e de união do grupo, se desejar reconhecer algum individualmente pelo motivo que for, crie desafios específicos para essa pessoa, mas a entrega do produto deve ser sempre no nível do time.

É claro que o engajamento necessitam de outros fatores, mas acredito fielmente que a grande base está nesses pontos, o que você acha disso? Alguma outra dica? Algum outro pilar?

Please follow and like us:
error

Vitor Cardoso

One Comment

  1. É isso, Vitor! Acho que nada engaja mais as pessoas do que trabalhar em algo que elas acreditam! Ter métricas pro nosso trabalho também engaja muito, é bom ver um resultado alcaçado, uma meta batida!

Deixe uma resposta