0

Trajetória para a Liderança

Liderar pessoas é um universo de possibilidades, entender suas necessidades é um desafio e tanto. Não existem regras tão exatas quanto na área técnica em que me formei, então entendi que é extremamente necessário observar, ler, conversar e aprender constantemente.

Quem me conhece, sabe que estou sempre procurando novas formas de aprimoramento. Antes de me tornar líder, passei seis anos observando pessoas e comportamentos, aprofundando meus conhecimentos para consolidar meus fundamentos, mas sei que muita gente não tem essa oportunidade.

Muitas vezes, no dia a dia das empresas, algumas pessoas acabam tornando-se líderes pelo ótimo desempenho técnico. Da noite para o dia passam a gerir pessoas, o que não tem necessariamente relação com o dia a dia técnico.

Buscando conhecimento para clarear alguns conceitos e saciar alguns questionamentos como, por exemplo, saber se a competência de liderar é possível de ser passada de uma pessoa para outra da mesma forma que passamos no conhecimento técnico. 

Com esta dúvida em mente, resolvi conversar com três líderes mulheres que são grandes referências para mim nesse momento. Como ocorreu em praticamente toda a minha carreira, a maioria dos meus gestores foram líderes mulheres. O que me faz muito feliz, pois elas possuem uma grande sensibilidade e aprender com elas é sempre uma honra.

Trago aqui um resumo de como foram essas conversas, focando no momento em que cada uma delas se tornou líder de pessoas. Queria entender o processo, como cada uma delas assumiu seus cargos de gestão. Para isso, entender mais sobre suas trajetórias foi super importante.

Ouvindo cada uma delas, percebi que não houve muita preparação por parte de seus gestores diretos, todas relataram ter acontecido de forma espontânea, ou seja, o fundamento nasceu da associação de uma busca intrínseca, da observação de pessoas, suas atitudes e comportamentos.

E aqui vem uma primeira reflexão, que antes de qualquer aperfeiçoamento na questão da liderança é necessário conhecer muito bem a si próprio, suas competências e suas limitações. Em seguida, observar as atitudes e comportamentos de outras pessoas, de tal forma que seja possível ver por vários ângulos, ou seja, pelo seu ponto de vista e por outros diferentes do seu.

Minha hipótese é que esse tipo de conhecimento é maior em complexidade, pois liderar pessoas requer atenção aos comportamentos e emoções dos seus liderados. É o tipo de experiência difícil de se passar de uma pessoa para outra, pois não há uma regra.

Mas será que existem líderes que conseguem ter essa consciência e essa sensibilidade? Acredito que sim, que existem excelentes gestores que conseguem ajudar com orientação e direcionamento, conectando com seus pontos fortes e te ajudando a evoluir nas suas potencialidades e conhecimento, inclusive isso foi citado em uma das conversas sobre a observação on the job que pode gerar referências e servir como guia.

Perguntei a elas, quais atitudes, palavras ou orientações que mais fizeram diferença em suas trajetórias. Veja um pouco de como essas gotas de conhecimento podem fazer diferença na nossa trajetória:

“Trabalhe sempre com a ética”

“Escolha as brigas que você quer comprar”

“Melhor ser feliz do que ter sempre razão”

“Você só é promovido para um cargo quando de fato está atuando nele”

“Tenha coragem e seja ambicioso, defina as suas metas e trabalhe muito para conquistar”

“Aprenda com quem é melhor”

Repare que são gotas em um oceano de conhecimento, mas são gostas extremamente poderosas e que ajudam muito no fundamento e no direcionamento, podendo mudar completamente o rumo dos seus pensamentos e atitudes.

Outro ponto que percebi de informação nas conversas, é a constante busca por conhecimento e aprofundamento nos assuntos que são de seu interesse. Aprender e ter conhecimento para representar esse assunto e dominar.

Acho importante destacar que em uma das conversas, foi mencionada a importância da vivência do esporte, a disciplina e o controle da competitividade, para buscar e chegar nos seus objetivos, sempre de forma ética, com muita garra e trabalho duro. Sabemos que o esporte é sempre uma grande lição de vida em todos os sentidos, mas é super válido destacar os efeitos tangíveis que foram identificados pela própria pessoa e de forma tão clara e precisa. 

Perguntei um pouco das competências que elas entendem que são indispensáveis para um bom líder, suas respostas foram:

Transparência / Ética / Delegar / Autonomia / Gostar legitimamente de pessoas / Visão estratégica / Resiliência / Colaboração / Comunicação / Ouvir com vontade / Empatia / Coragem / Gratidão

Olhando cada uma dessas competências posso observar que, ao mesmo tempo que temos um olhar todo focado em pessoas, temos também características de direcionamento.

O último item foi destacado por uma delas como um desafio bacana de ser pensado e praticado, exercitar a gratidão, ou seja, agradecer alguém que foi importante em sua vida e que, possivelmente, nunca tenha falado isso para a pessoa. Então fica a dica aqui para todo mundo!

Uma percepção e orientação que recebi, é sobre a importância de ter um mentor e de mentorar as pessoas para desenvolvimento de ambas. Claro que essa parte precisa de atenção, responsabilidade e conhecimento, mas procure pessoas que são de fato referência para vocês e pergunte a uma delas se poderia mentorá-lo. Mas vale a dica que essa pessoa não deveria ser o seu líder direto, pois o ideal é alguém agnóstico do que ocorre no seu dia a dia, e segundo meu ponto de vista, o seu líder deveria mentorá-lo para te desenvolver e ajudá-lo a atingir os seus objetivos.

Nesse momento vem a segunda hipótese, que complementa a primeira, que com a arte da mentoria é possível lapidar esse conhecimento, porém, só é possível ocorrer quando minimamente se tem um fundamento, ou seja, já tenha de certa forma o domínio dos seus comportamentos e uma boa leitura dos comportamentos das ouras pessoas. Com isso é possível trazer mais reflexões para que se consiga ir aprimorando a arte da liderança.

Aproveito esse finalzinho para agradecer essas 3 mulheres conspícuas que são referências de liderança na minha carreira e ainda tenho o prazer de trabalhar com as 3 atualmente, muito obrigado Thais Juncá, Luciana Povoa e Renata Pessoa. Contem sempre comigo.

A mensagem que fica para mim é a importância do autoconhecimento, domínio dos seus pontos fortes e das suas limitações, a busca constante pelo aprimoramento, a observação intencional das pessoas e seus comportamentos buscando um olhar diferenciado. Acredito ser essa a base para nos tornamos líderes cada vez melhores e poder um dia inspirar outras pessoas.

Artigo publicado no Linkedin:

https://www.linkedin.com/pulse/trajet%25C3%25B3ria-para-lideran%25C3%25A7a-vitor-cardoso

Please follow and like us:
error

Vitor Cardoso

Deixe uma resposta